Geografia (Paisagem com Ondas)

[ 2011 ]


Uma viagem pela região dos Pampas deu início à série de trabalhos de Tratado de Limites. Essa viagem abrangeu a região sul do estado do Rio Grande do Sul  e o norte do Uruguai. Percorrer esta região desencadeou um pensamento sobre as delimitações geográficas e políticas entre estados e países.

Os Pampas criam uma delimitação geográfica própria, determinada por seu bioma específico, fazendo as definições fronteiriças parecerem sem sentido. A continuidade dos campos e paisagem dos pampas remete à uma percepção de diluição de fronteiras, leva a pensar que as fronteiras nem sempre são perceptíveis nem pertinentes, sendo a região antes identificada através de características próprias e não necessariamente através de delimitações de fronteiras.

Ao viajar pelos pampas, as fronteiras são percebidas divisões aleatórias de territórios. A exceção são as fronteiras delimitadas por divisões geográficas próprias de cada lugar, como são as fronteiras delimitadas por águas: o Rio Uruguai separa o Brasil do Uruguai, e este da Argentina, e o rio Jaguarão delimita as fronteiras do extremo sul do Brasil.

O mapa da região da Baía del Plata tem suas fronteiras políticas formadas por mares, lagos ou rios. O desenho desse mapa feito em gelo e o seu derretimento é registrado em um vídeo em stop motion.

O vídeo Geografia é acompanhado do trabalho sonoro Paisagem com Ondas.

VIDEO  (stop motion) / 5:05 min. / 2011

Paisagem com ondas é uma música composta a partir da proposta de Marina Camargo para o músico Leonardo Boff de criar uma paisagem sonora a partir de gráficos que desenham ondulações nos ângulos de 30  a 40 graus (que são as latitudes em que os Pampas se encontram), simulando o som dos fortes ventos típicos da região.

Paisagem com ondas foi criado a partir de simulações de som de vento junto com timbres de gaita e violão (da música “Negro da gaita”, de César Passarinho) e manipulações sonoras. Geografia e Paisagem com ondas são mostrados juntos.